Lei n.º 62/2007, art. 75.º n.º 4 b) - Constituem infracção disciplinar dos estudantes: A prática de actos de violência ou coacção física ou psicológica sobre outros estudantes, designadamente no quadro das «praxes académicas».

16
Set 17

Com a devida reverência aos autores (Felisbela Lopes e João Quadros), por razões cívicas reproduzimos parte de artigos de opinião, que podem ser lidos na íntegra seguindo o link.

 

Nova carta a um universitário

Felisbela Lopes, JN 15.09.2017

Escrevi-te há dois anos, eras tu um jovem caloiro, cheio de expectativas, próprias de quem chega ao Ensino Superior, mas carregando igualmente alguns temores, frente a uma praxe que tu sabias que poderia ser violenta. Agora, já no terceiro ano, és finalista de uma licenciatura que se faz depressa demais e pertences também a um grupo que lidera o acolhimento aos mais novos. É em ti que confio para consolidares uma marca de qualidade do Ensino Superior e para ajudares a combater práticas abjetas que se multiplicam por vários campi universitários.
[...]
São apenas mais novos do que tu dois anos, mas essa diferença posiciona-te para seres uma espécie de porto de abrigo. À tua frente, estarão estudantes muito diferentes, ainda que todos te pareçam semelhantes. Não o são. Há os que chegam de longe e se confrontem com a experiência de viver numa nova e desconhecida cidade e há aqueles que continuam a ter os mesmos hábitos de sempre; há os extrovertidos e os que se atormentam com convívios forçados; há os que procuram novos ambientes e os que resistem à mudança... E, no meio de tudo isto, há ainda as praxes. Que tens a obrigação de combater.

http://www.jn.pt/opiniao/felisbela-lopes/interior/nova-carta-a-um-universitario-8771920.html

 

Praxar a praxe

http://www.jornaldenegocios.pt/opiniao/colunistas/joao-quadros/detalhe/prazae-a-praxe
João Quadros, 15 de Setembro de 2017 às 09:15

A praxe não tem lugar na universidade. Por alguma razão não existe uma cadeira de luta de cães, uma oral em arrotos, ou uma Universidade Zezé Camarinha. A praxe nunca devia ter saído dos quartéis. [...] Todos os anos estamos nisto, na maldita praxe. Ainda não tenho filhos na universidade mas espero que, até lá, acabem com a desgraça deste "bullying" encartado. [...] Aqui há tempos, vi as imagens do filme "Praxis", e fiquei cheio de vontade de ver a minha filha ali agachada com um outro caloiro a fingir que a sodomiza, com um balão pelo meio, e um idiota de óculos escuros e cabelo rapado, de traje, a gritar: "Não é assim que se papa a caloira!" Foi por isso que eu andei a juntar dinheiro para ela ir para a universidade. [...] Deviam ensinar os caloiros a contestar, a evitar conclusões em rebanho, e a não andarem vestidos de escaravelhos.

 

A praga da praxe
João Quadros, 18 Set 2017 09:53
http://24.sapo.pt/opiniao/artigos/a-praga-da-praxe
Tenho a opinião que praxe boa, é praxe morta.
A praxe "é a tradição". Esse argumento funciona para as praxes e para a excisão do clitóris.
"Foi graças à praxe que fiz amigos". Não há paciência. Esta gente que diz que tem amigos porque fez a praxe é o equivalente a dizer que tem namorada porque foi a uma casa de prostitutas.
Faz-me confusão como é que a polícia assiste àquilo e não faz nada. Grafittis nas paredes são 100 mil euros de multa, escrevinhar adolescentes no meio da rua, "tudo bem, siga". Estão 30 miúdos deitados em frente aos armazéns do Chiado, a gritarem que são umas bestas, e as pessoas olham para aquilo como quem olha para um tipo a assar castanhas – “Olha, chegou o outono".


mais sobre mim
Visitantes

- Objectores -

FREEMUSE - Freedom for Musicians
“Quando fizermos uma reflexão sobre o nosso séc. XX, não nos parecerão muito graves os feitos dos malvados, mas sim o escandaloso silêncio das pessoas boas." Martin Luther King "O mal não deve ser imputado apenas àqueles que o praticam, mas também àqueles que poderiam tê-lo evitado e não o fizeram." Tucídedes, historiador grego (460 a.c. - 396 a.c.)
Na Pista de Outros
Free Global Counter
Google Analytics