Lei n.º 62/2007, art. 75.º n.º 4 b) - Constituem infracção disciplinar dos estudantes: A prática de actos de violência ou coacção física ou psicológica sobre outros estudantes, designadamente no quadro das «praxes académicas».

18
Set 15

O Reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva, declara as praxes como um acto voluntário.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=790478

O reitor da Universidade de Coimbra disse hoje, na cerimónia de receção aos novos alunos, que a participação nas praxes é «rigorosamente voluntária», não podendo os caloiros sofrer represálias pela não adesão a esta tradição académica.

publicado por contracorrente às 07:54

Falta, ainda, a coragem aos Poderes Institucionais para, pelo menos, desaconselharem a participação dos Alunos nas praxes. Para dizerem, preto no branco, que os Alunos Não Devem Ir às Praxes!
Invocar tradição no respeitante a Praxes é querer retroceder em termos civilizacionais!
Até porque, quando nas Escolas Superiores se lutava por Valores mais Elevados, NÃO HAVIA Praxes, nomeadamente na Universidade de Coimbra.
Em Lisboa, onde estudei de 1972 a 1977, nunca ouvi ou vi qualquer coisa que reportasse para praxes. E, em Coimbra, à data, julgo que também não havia, pois penso que vigorava o designado "Luto Académico", embora desta situação não tenha uma certeza absoluta.
Francisco Carita Mata a 18 de Setembro de 2015 às 09:09

mais sobre mim
Visitantes

- Objectores -

FREEMUSE - Freedom for Musicians
“Quando fizermos uma reflexão sobre o nosso séc. XX, não nos parecerão muito graves os feitos dos malvados, mas sim o escandaloso silêncio das pessoas boas." Martin Luther King "O mal não deve ser imputado apenas àqueles que o praticam, mas também àqueles que poderiam tê-lo evitado e não o fizeram." Tucídedes, historiador grego (460 a.c. - 396 a.c.)
Na Pista de Outros
Free Global Counter
Google Analytics