Lei n.º 62/2007, art. 75.º n.º 4 b) - Constituem infracção disciplinar dos estudantes: A prática de actos de violência ou coacção física ou psicológica sobre outros estudantes, designadamente no quadro das «praxes académicas».

05
Mar 15

A única certeza, até à data, é a morte. Que de forma não inédita marca estes rituais.

------------------
Dux da Lusófona não vai ser julgado pelas mortes no Meco.
Famílias das vítimas admitem levar o caso até ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.
http://expresso.sapo.pt/dux-da-lusofona-nao-vai-ser-julgado-pelas-mortes-no-meco-juiz-nao-houve-comportamento-tiranico=f913453

Tribunal não encontra crime nas seis mortes do Meco
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4434089
Juiz de instrução de Setúbal decidiu arquivar o processo da morte dos seis jovens na Praia do Meco, a 15 de dezembro de 2013 e não leva o único sobrevivente, João Gouveia, a julgamento.


É assim, não sei porque o querem crucificar. Mesmo que tenham feito algum ritual de praxe, só é crime se ele os empurrou para o mar, os enganou, ou abusou do seu poder sobre eles. E visto que as organizações de praxe não têm qualquer legitimidade oficial, não se pode falar em abusar do seu poder de "dux", pois isso seria legitimar as praxes. A indignação de muita gente é a de querer arranjar um bode expiatório para tudo.
Isto tudo é só mais uma prova de que as praxes são um mal a erradicar. E não venham com a treta do "ah e tal mas isto e aquilo não é praxe". Então o que é "a verdadeira" praxe? Aparentemente é qualquer coisa idílica, que ninguém sabe definir e que é muito boa, mas por qualquer razão nunca ninguém sabe concretizar o que é, nem dar um exemplo concreto de uma única dessas "verdadeiras" praxes.
Galineu a 29 de Março de 2015 às 10:53

mais sobre mim
Visitantes

- Objectores -

FREEMUSE - Freedom for Musicians
“Quando fizermos uma reflexão sobre o nosso séc. XX, não nos parecerão muito graves os feitos dos malvados, mas sim o escandaloso silêncio das pessoas boas." Martin Luther King "O mal não deve ser imputado apenas àqueles que o praticam, mas também àqueles que poderiam tê-lo evitado e não o fizeram." Tucídedes, historiador grego (460 a.c. - 396 a.c.)
Na Pista de Outros
Free Global Counter
Google Analytics