Lei n.º 62/2007, art. 75.º n.º 4 b) - Constituem infracção disciplinar dos estudantes: A prática de actos de violência ou coacção física ou psicológica sobre outros estudantes, designadamente no quadro das «praxes académicas».

26
Abr 17

Tenho muita dificuldade em entender o fenómeno da praxe

http://www.comumonline.com/?p=19940

Reafirmando o seu posicionamento face à praxe, António Cunha refere que “se há coisa que a UM nunca fez foi legitimar actividades que não sejam consentâneas com o quadro de valores éticos”.

 

publicado por contracorrente às 21:42

27
Mar 17

Alcaide é categórico: “A AAUM discorda do que diz o governo sobre a praxe”. [...]

http://www.comumonline.com/?p=17054

Latada, o Cortejo Académico ou o Caloiro de Molho, iniciativas com uma forte ligação à praxe académica e com uma forte contribuição da associação académica. Se juntarmos parte dos valores destinados a estas atividades, rapidamente atingimos valores na ordem dos 15 mil euros.
http://www.comumonline.com/?p=19301

Praxe_UM_custos.png

 

publicado por contracorrente às 23:53

17
Fev 17

Cai a máscara ao avestruz, ao do capuz, ou lá o que seja?

 

Estranhamos que, do que temos visto "in loco" em sucessivas idas à U.M. ao longo do ano, apesar da posição clara e desassombrada do Reitor sobre este tema, na U. Minho é onde estas práticas mais se estendem no ano lectivo (estamos já em Fevereiro!) e são mais intensas. Tendo inclusivé já provocado mortes.

 

Nessa excelente Universidade, povoada pelos vistos por uma minoria medíocre e indigna de frequentar o ensino superior, cremos que só falta dar mais um passo, a coragem de expulsar estes prevaricadores. Que causam mais dano do que proveito à  instituição.

 

Aos "putos (praxadores) nazis", recomendamos a leitura de um poema-música do sempre actual José Afonso.

Letra por acaso depositada num repositório da U.M.

http://alfarrabio.di.uminho.pt/zeca/cancoes/159.html

 

************************

Cruz suástica em praxe revolta Universidade do Minho

http://www.jn.pt/nacional/interior/cruz-suastica-em-praxe-revolta-universidade-5670383.html#ixzz4YpdilX4i

 

Braçadeira nazi em praxe na Universidade do Minho causa polémica
http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-02-16-Bracadeira-nazi-em-praxe-na-Universidade-do-Minho-causa-polemica
A Universidade do Minho faz parte das três instituições de ensino portuguesas que todos os anos geram mais queixas devido as praxes.


08
Dez 16

Que adianta o Ministro e o Reitor terem uma posição clara sobre o tema?

Pelos vistos pouco, segundo o re-candidato à AAUM, que faz orelhas de mouco.

O seu programa é claro, a praxe será para continuar. Sem precisar de explicar como a humilhação integra.

 

Bruno Alcaide é o atual presidente da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) e é novamente candidato à presidência pela Lista A.

“A AAUM continuará a defender a praxe como processo de integração”

Alcaide é categórico: “A AAUM discorda do que diz o governo sobre a praxe”. O atual dirigente admite, porém, “alguns abusos que vão acontecendo no dia-a-dia”, mas garante que está em diálogo com quem lidera “essas iniciativas” para que os colegas sejam tratados com “o maior respeito possível”. Dessa forma, conclui, “as pessoas estarão na praxe porque querem, gostam e se associam à praxe sem que os obriguem ou influenciem”.

Questionado sobre uma transferência de 625,22 euros para o “Cabido de Cardeais”, um organismo informal ligado a atividades praxísticas, o candidato defende-se dizendo que essa verba surge na sequência da organização conjunta de várias atividades, como “O Tricórnio Vai…” e o “Caloiro de Molho”. “Esses 600 euros são complemente enquadráveis na missão que cabe à Associação Académica”, remata.

http://www.comumonline.com/?p=17054

publicado por contracorrente às 11:26

24
Abr 14

O Reitor da Universidade do Minho, Prof. António Cunha, tem uma posição clara e quase solitária de condenação das praxes. Não obstante há quem contorne essas orientações e encontre formas de exercitar os rituais, por alguns ditos iniciáticos, aqui uma vez mais tragicamente fatais.

 

"António Cunha aguarda resultados do inquérito para analisar o caso, mas lembra que práticas de praxe estão há muito proibidas dentro de portas. E lembra que a instituição tem poderes muito limitados fora das suas instalações."

"A universidade tem um quadro muito claro” sobre a questão da praxe, sublinhou Cunha, numa declaração feita aos jornalistas na manhã desta quinta-feira: “Rejeitamos, condenamos e proibimos práticas que vão contra o nosso código de valores”. Mas mesmo que a UM faça “tudo o que está ao seu alcance” para impedir a realização de praxes entre os seus alunos, esta tem “uma capacidade de intervenção muito limitada fora dos seus muros”, defende o reitor.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/reitor-da-universidade-do-minho-recusa-associar-morte-de-tres-alunos-a-praxe-1633442#/0

 

Queda de muro mata três estudantes junto à Universidade do Minho
23/04/2014 - 20:24
Vítimas estariam a participar numa "guerra de cursos", uma brincadeira entre alunos, e terão subido ao muro que ruiu. Os quatro feridos já tiveram alta.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/queda-de-muro-deixa-dois-estudantes-na-universidade-do-minho-soterrados-1633391#/0

 

http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Braga&Concelho=Braga&Option=Interior&content_id=3827122

Segundo contaram alunos e comerciantes da zona que assistiram, decorria uma "guerra de cursos", com os alunos de Medicina situados num terreno superior e os de Licenciatura em Engenharia Informática (LEI) em baixo. Gritavam palavras de ordem de um curso para o outro, quando os doutores de LEI, alegadamente, ordenaram aos caloiros para subir o muro e "enfrentar" os de Medicina. Foi quando o muro desabou sobre os alunos que permaneciam na parte inferior.

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/tres-mortos-em-queda-de-muro-na-universidade-do-minho

A queda de um muro junto à Universidade do Minho, em Braga, causou três mortos e quatro feridos.
O acidente ocorreu por volta das 19h40 numa zona residencial a cerca de 500 metros da universidade, onde habitualmente decorrem ações relacionadas com a praxe universitária.

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=104192

Segundo soube o SOL, os estudantes morreram na sequência de uma praxe a alunos do curso de Engenharia Informática da Universidade do Minho que estava a ocorrer naquele local. As praxes deste curso são conhecidas por serem das mais agressivas daquele estabelecimento de ensino.

publicado por contracorrente às 01:45

25
Jan 14

Em 2012 assinálamos aqui os "Novos ventos: UMinho restringe praxes", e que a pessoa certa no lugar certo faz a diferença, faz absoluta diferença, no caso o reeleito reitor Prof. António Cunha.
Apesar desse esforço, estranhamente único no país, em transformar uma universidade no que deve ser, um espaço de ensino e com dignidade, damos agora conta desta triste notícia. Certamente que a UMinho saberá ser consequente com a postura diferenciadora, de qualidade e rigor que tem assumido.

Praxe amedronta docentes da Universidade do Minho
por Fernanda Câncio

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=3650941

Professor de Psicologia enviou e-mail a toda universidade em que se queixa de ter sido humilhado quando tentou intervir numa praxe que considerou abusiva. Presidente da Associação Académica diz querer caso apurado

"Sabes o que é o caralho?" Foi a pergunta que António Rui da Silva Gomes, professor auxiliar do departamento de Psicologia Aplicada da escola de Psicologia da Universidade do Minho (UM), diz ter ouvido de um "praxador" quando na tarde de quinta-feira advertiu os membros de uma praxe de que o que estavam a fazer "não tinha graça e não era permitido na Universidade."
Em resultado, conta num mail anteontem enviado a toda a Universidade, "passei eu a ser o objeto da praxe questionando-me agora a mim o aluno se sabia o que era o que descrevi acima. Fiquei estupefacto com a situação e dirigi-me a ele perguntando-lhe se tinha confiança comigo para me falar daquele modo; ao aproximar-me fui abordado fisicamente por outro aluno, que me agarrou (imagino que a pensar se iria agredir o seu colega, coisa que obviamente não era minha intenção)." Enquanto estava manietado, a pergunta referida ter-lhe-á sido endereçada mais algumas vezes.

 

Professor alvo de praxe na Universidade do Minho
Liliana Abreu Guimarães/Pedro Rothes/Dores Queirós 25 Jan, 2014, 13:58 / atualizado em 25 Jan, 2014, 13:58

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=712192&tm=8&layout=122&visual=61
A Universidade do Minho está a investigar uma ação de praxe que envolveu um professor. O docente do Departamento de Psicologia chamou a atenção para o que considerou ser um excesso de linguagem e os elementos não terão gostado da intervenção do professor. Um segurança foi mesmo chamado ao local.


01
Out 12

A pessoa certa no lugar certo faz a diferença, faz absoluta diferença.

Chegou-nos só agora à mão esta informação e a atitude dos veteranos (eufemismo para designar não necessariamente os que reprovam mas os cábulas), no discurso de recepção aos novos alunos pelo reitor da Universidade do Minho, o professor António Cunha.

Do qual destacamos a afirmação:

"Peço o vosso compromisso com os princípios e valores do código de conduta ética da Universidade do Minho".
O reitor, Prof. António Cunha, orgulha-se da sua instituição ter uma grande atractividade. Se este for também o motivo é simples, que outros lhe sigam o exemplo.

> Jornal Público, 18 de Setembro de 2012 (edição impressa): "Veteranos" em protesto recusam ouvir reitor.

>Jornal Correio da Manhã (17 Set. 2012): Universidade e estudantes têm estado de costas voltadas por causa das praxes académicas, desde que no ano passado a reitoria aprovou um novo código de ética que proibe as praxes dentro dos recintos universitários.

Universidade e estudantes têm estado de costas voltadas por causa das praxes académicas, desde que no ano passado a reitoria aprovou um novo código de ética que proibe as praxes dentro dos recintos universitários.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/ensino/doutores-abandonam-cerimonia-em-protesto


mais sobre mim
Visitantes

- Objectores -

FREEMUSE - Freedom for Musicians
“Quando fizermos uma reflexão sobre o nosso séc. XX, não nos parecerão muito graves os feitos dos malvados, mas sim o escandaloso silêncio das pessoas boas." Martin Luther King "O mal não deve ser imputado apenas àqueles que o praticam, mas também àqueles que poderiam tê-lo evitado e não o fizeram." Tucídedes, historiador grego (460 a.c. - 396 a.c.)
Na Pista de Outros
Free Global Counter
Google Analytics